18
Jul

O SUCESSO DA PECUÁRIA ORGÂNICA

Na produção orgânica, os agricultores optam por não utilizar insumos químicos, sendo que a concepção e gestão do sistema de produção são fundamentais para o sucesso da atividade. Para tal, também adotam-se estratégias complementares como as práticas de rotação de culturas e de preparo do solo sem revolvimento para evitar ou reduzir problemas ambientais que prejudicam o desenvolvimento da produção agropecuária.

Os rendimentos de cada cultivo orgânico variam, dependendo do sucesso do gestor, durante a transição do convencional para orgânica, podendo diminuir a produtividade durante os primeiros anos, mas depois de um período de transição os rendimentos aumentam e tornam-se semelhantes aos convencionais ou até superiores.

As culturas forrageiras como as pastagens, podem ser cultivadas organicamente de forma relativamente fácil, devido ser culturas rústicas que não necessita de altos investimentos financeiros. Além disso, possuem baixa ocorrência de ataque de pragas e doenças, sendo excelentes alternativas para alimentação animal durante todo o período do ano.

Diante disso, os animais podem ser produzidos organicamente, sendo que nos últimos anos, os produtos lácteos orgânicos tornaram-se mais populares, aumentado a demanda, através de um mercado em expansão para a carne e o leite.

Os animais devem ser alimentados apenas com produtos orgânicos que não contém substâncias geneticamente modificadas. Além disso, os antibióticos, hormônios de crescimento e inseticidas, por exemplo, são proibidos, sendo que caso algum animal se torne doente e antibióticos sejam usados para auxiliar na recuperação, deve ser administrado de acordo com a necessidade de tratamento e o acompanhamento do órgão fiscalizador da produção orgânica.

Nesse caso, o animal deve ser separado do rebanho que encontra-se sob orgânico e não pode ser vendido para o comércio de produtos orgânicos.

Como parte do manejo orgânico, as vacinas são permitidas. A maioria das doenças pode ser controlada com produtos homeopáticos.

A inseminação artificial é permitida, mas é necessário sempre verificar com seu organismo de certificação orgânica para determinar se um produto ou técnica é permitido na lista de substâncias permitidas e os padrões orgânicos.

A produção orgânica também deve respeitar todas as outras regulamentações Federais, Estaduais e Municipais, porque os produtos orgânicos geralmente podem se qualificar para preços mais elevados do que os produtos não-orgânicos. Os preços mais altos compensam os custos de produção mais elevados, por unidade de produção da gestão, trabalho.

Alguns produtores orgânicos experientes de animais, particularmente quanto às forragens, relatam pouca alteração no rendimento em relação aos sistemas convencionais de elevado uso de insumos.

Na produção orgânica animal, também podem haver custos de marketing mais elevados para desenvolver mercados onde há menos infraestrutura do que por commodities convencionais. Atualmente, a demanda é maior que a oferta para a maioria dos produtos orgânicos, o que geram boas perspectivas aos produtores.

Fontehttp://www.omafra.gov.on.ca/english/crops/facts/09-077.htm#success

Site de acesso: Ontario – Ministry of Agriculture, Food and Rural Affairs – Hugh Martin