1
Jul

No combate ecológico às pragas, a prevenção ainda é o mais eficaz


Para o produtor orgânico manter a saúde de seu plantio é uma tarefa árdua, principalmente porque não se admite o uso de agrotóxicos que, embora possam trazer resultado rápido, acarreta muitos malefícios à saúde humana e ao meio ambiente. 

Ainda que o cenário esteja mudando, a falta de conhecimento das possibilidades de adubação do solo, prevenção e controle de pragas e doenças de forma sustentável ainda não é uma realidade para muitos.

Pensando em ajudar produtores orgânicos nas tarefas do dia a dia foi iniciei um trabalho de compartilhamento de informações e conhecimentos agroecológicos/orgânicos via internet. Nesse artigo vou dar umas dicas para você lidar com pragas em geral que podem atacar seus cultivos, e que este permaneça sempre saudável.

Equilíbrio do ecossistema

Ao contrário do que alguns produtores pensam, eliminar os insetos do cultivo não é indicado para que a saúde da mesma esteja preservada. O ideal é equilibrar o ecossistema, mantendo os insetos, fungos e bactérias, por exemplo, sempre presentes nas áreas de agricultura.

Porém, devem estar presentes em quantidade reduzida, evitando sua reprodução exagerada. Afinal, para a agricultura orgânica a interação de todos os organismos vivos com o ambiente é essencial.

Inimigos naturais

Quando uma praga ataca a plantação, é sinal de que não está havendo o equilíbrio que mencionei. É importante sempre monitorar constantemente o cultivo para agir preventivamente e criar condições ambientais para favorecer a reprodução dos inimigos naturais dos insetos que estejam se desenvolvendo descontroladamente.

Lagarta do cartucho

Um exemplo de controle e prevenção de pragas e doenças, é que os cultivos orgânicos de milho vêm sofrendo severos ataques da lagarta do cartucho.

Essa lagarta se instala nos milharais, podendo até devastar a plantação, pois são muito vorazes. Para evitar esse ataque constante, os produtores orgânicos utilizam como estratégia o controle biológico, colocando a Tesourinha, inimigo natural das lagartas do cartucho no milho no mesmo ambiente.

Essa técnica faz com que o uso de agrotóxicos seja dispensável para tentar controlar essa lagarta, preservando a organicidade da plantação.

Manejo integrado de pragas (MIP)

O manejo integrado de pragas é uma das principais formas de controle agroecológico e tem como foco principal o controle de pragas através de planos de medidas.

Para melhorar a qualidade do solo e fortalecer as espécies cultivadas, por exemplo, é incentivada a rotação de culturas e a nutrição equilibrada entre macronutrientes e micronutrientes.

Muita Atenção

Com o uso de agrotóxicos, os insetos tendem a tornarem-se cada vez mais resistentes. O MIP propõe técnicas como a utilização de sementes mais resistentes e a instalação de barreiras físicas e mecânicas para evitar o aumento descontrolado de insetos na agricultura.

Sendo assim, o agricultor deve possuir conhecimento para lidar com qualquer situação que ocorra em sua plantação, priorizando sempre a prevenção já que uma planta saudável terá menos ataques de pragas e doenças.