22
Out

Saiba como identificar se o alimento é orgânico

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, há mais de 15 anos é quem estabelece os procedimentos de avaliação do valor orgânico dos alimentos e há um processo rigoroso de auditoria para que eles sejam certificados.

Para ser considerado orgânico, o processo produtivo deve contemplar o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando relações sociais e culturais.

 

“A certificação para colocar o selo de alimento orgânico é muito criteriosa. Hoje temos vários produtores locais que antes produziam de uma forma convencional e atualmente estão convertendo suas propriedades para o sistema orgânico. O agricultor orgânico passa por uma criteriosa análise. Verifica se o solo está sendo manejado de forma que contribua para a sua melhoria, sem uso de produtos químicos, por exemplo. As mudas que ele utiliza, o processo de adubação (a preferência é pela compostagem) seguem o que está previsto em lei. São diversos parâmetros que vão indicar se o produto é orgânico, ou seja, produzido de maneira natural”, explica Simone Rocha, nutricionista e presidente da Associação de Nutrição do Distrito Federal.

O SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica) concede um selo que garante que um alimento oferecido é, de fato, natural e livre de produtos químicos. Mas, existem os produtores que ainda estão em processo de mudança para posterior obtenção da certificação. Então, na hora de ir à feira, por exemplo, vale conversar com o feirante para saber a origem dos alimentos expostos, já que o produtor orgânico se dedica muito para poder entregar produtos com grande valor nutricional e livres de contaminação por agrotóxicos, medicamentos veterinários, transgênicos e tudo possa por em risco a saúde das pessoas, dos animais e do meio ambiente.

Normalmente eles avisam que estão vendendo produtos sem agrotóxicos e que ainda estão caminhando em direção à certificação, cujo processo demora um pouco. Segundo a nutricionista Simone Rocha, vale muito à pena procurar lugares específicos na hora de fazer as compras. “Também existem as feiras de orgânicos em diversos locais do Brasil, com produtos certificados. E eles vão ter o prazer de explicar toda a produção e os benefícios de alimentos sem resíduos agrotóxicos”, finaliza.

Em geral, o alimento orgânico é mais saboroso do que aquele produzido por métodos convencionais, utilizando adubos químicos e agrotóxicos. Pelas leis da economia, a procura é o que estimula a oferta – ou seja, quanto maior o número de pessoas que procuram produtos orgânicos, maior será a disposição de produzi-los, o que com o tempo resulta em preço menor e mais qualidade.

Sendo assim, adquirindo produtos orgânicos, o consumidor leva para casa alimentos saudáveis e saborosos, cultivados em sistemas produtivos livres de agrotóxicos e materiais sintéticos, contribuindo para o fortalecimento de um novo modelo de produção agropecuária e agroindustrial, em que se levam em conta diversas questões fundamentais à sobrevivência do planeta, como, por exemplo, a manutenção da quantidade e qualidade da água e a manutenção da biodiversidade.

A sobrevivência e a qualidade de vida das gerações futuras dependem fundamentalmente de nossas práticas produtivas e de nossos hábitos de consumo.

Professor Milton