10
Set

Benefícios de uma horta agroecológica escolar. Inspire-se!

Ter uma horta agroecológica na escola é uma ótima estratégia de trabalhar conteúdos e valores com crianças e adolescentes. Além dos valores nutricionais das hortaliças, a participação em atividades na horta incentiva os pequenos cultivadores a semear essa ideia ecológica em suas casas. À medida que as plantas crescem, irão servindo como ferramenta para estudos de ciências e matemática, por exemplo, além de incentivar a alimentação saudável e cuidados especiais com o meio ambiente.

Se você tem interesse em iniciar uma horta agroecológica escolar, mas não sabe por onde começar, lhe darei algumas dicas:

1- Escreva o projeto

O primeiro passo para começar uma horta agroecológica em uma escola é fazer um projeto, para que a direção, os pais e a comunidade entendam os benefícios da iniciativa e colaborem com a aprovação e implantação do projeto. Incluir os pais nesse processo é sucesso garantido, uma vez que a escola é, sem dúvida, o segundo lar dos alunos.

2- Escolha o local

Com a aprovação garantida e o apoio dos pais, é preciso escolher a área a ser utilizada para os plantios das hortaliças. Alguns fatores precisam ser considerados nesta escolha: acessibilidade aos alunos e professores, ter uma fonte de água próxima, ter bastante exposição à luz solar, ser grande o suficiente para que possa crescer no futuro e, por fim, ter solo de boa qualidade. Quanto mais fatores positivos para o plantio, maiores são as chances das plantas crescerem sadias e produzirem alimentos saborosos e nutritivos.

3- Projetando o espaço para o plantio

Antes de iniciar qualquer tipo de plantio, é necessário decidir o que será plantado, quanto de espaço é necessário e como ele será utilizado. Então, o primeiro cuidado é pensar no formato desse “jardim produtivo”, se o plantio será feito direto no solo, em caixas, camas de plantio ou dentro de recipientes. Tudo isso depende dos espações disponíveis. Vale ressaltar que cada espécie de hortaliça pode possuir uma condição específica de plantio para ter o melhor desenvolvimento.

Com a escolha do formato feita, faça um desenho das opções possíveis de disposição. No rascunho inclua as dimensões destinadas ao plantio propriamente dito, o espaço necessário para armazenar materiais, adubo e a proximidade com a fonte de água.

4- Escolhendo as espécies de hortaliças para a produção dos alimentos desejados

Dê preferência a algumas espécies alimentícias nativas da região, chamadas de PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Para as espécies exóticas, verifique quais se adaptam às condições climáticas locais. Avalie também quais são as características de cada uma, bem como os cuidados necessários para a sua manutenção. É possível fazer a escolha das espécies também baseado no conteúdo a ser trabalhado com os alunos, de forma que a teoria esteja conectada com o que os estudantes estão vendo na prática. Leia Ganhe saúde, dinheiro e sustentabilidade com horta Orgânica. Pode ser útil.

5- Teste o cultivo antes de iniciar o trabalho com os alunos

Antes de tornar a horta parte do programa educacional, faça testes para ter certeza de que o solo está adequado e que as espécies vão se desenvolver adequadamente.

6- Use os erros como forma de aprendizagem

Trabalhar com o cultivo de plantas produtoras de alimentos é algo que foge ao controle próprio. O plantio está à mercê das condições climáticas e isso pode significar alguns percalços no caminho. Utilize essas experiências como forma de aprendizado para o projeto e também para os alunos. O ideal é que eles estejam envolvidos em todas as etapas do processo, do plantio à colheita. Assim, poderão se interessar em criar horta em suas próprias casas e comunidades.

Também é bacana aliar a horta a um trabalho de compostagem de resíduos orgânicos gerados na própria escola. Pode-se construir um minhocário e assim ensinar o ciclo completo da natureza. Garanto que eles irão adorar aprender a gerar adubo orgânico para a horta da escola. Além de produzirem o adubo, aprenderão a evitar desperdício, já que os restos da merenda escolar que era descartado, agora poderão ser utilizados.

Essa iniciativa pode se transformar em algo muito maior que uma simples horta, e seus benefícios são incontáveis. O aluno inserido neste projeto terá seus pais mais próximos, conscientização de uma alimentação saudável, aprende a evitar desperdícios, aflora o espírito em equipe e o zelo pelo meio ambiente. Todos envolvidos neste projeto só têm a ganhar. Crianças e adolescentes conscientes tornam-se adultos responsáveis em cuidar do nosso planeta!

Abraço!

Professor Milton