6
Jul

COMO CRIAR UMA HORTA AGROECOLÓGICA EM CASA?

Vamos conversar sobre alguns aspectos fundamentais?

1º Passo: Com um espaço com 30 ou 40 metros quadrados, pode-se obter uma diversidade de legumes e outros vegetais utilizados na dieta familiar diária.

Quando você só tem uma varanda ou um terraço, o ideal é utilizar recipientes que tenha em casa, como: panelas, garrafas de plástico, tambores e vasos grandes, por exemplo, que possuem profundidade suficiente para que as raízes das plantas se desenvolvam bem.

Os recipientes são preenchidos com terra fértil, com boas proporções de compostagem (pode usar composto orgânico doméstico) ou vermicompostagem (decomposição de resíduos por minhocas). Sempre deve-se manter o solo com boa diversidade de nutrientes, para atender as demandas nutricionais das plantas.

2º Passo: É interessante que a varanda ou terraço receba várias horas de luz solar diariamente, porque as plantas precisam de sua radiação para a fotossíntese, o que depende para seu desenvolvimento.

Se o terraço não recebe sol direto, mas possui uma parede próxima, que reflete sua radiação, pode ser suficiente, dependendo das espécies vegetais cultivadas; alguns sugerem a pintura da parede de cor branca para aproveitar ao máximo a luz solar.

É importante privilegiar as plantas que requerem quantidades maiores quantidades de luz, tais como: tomate, pimentão e berinjela, ou cucurbitáceas, como o melão, pepino e abobrinha. Enquanto outros, como acelga, couve ou espinafre, crescem bem com menos luz e calor. Isto direciona a escolha das espécies que serão cultivadas na horta orgânica e os arranjos a serem estabelecidos.

3º Passo: Muitas pessoas vêem as suas culturas com dificuldade de crescimento, devido ao excesso ou falta de água para irrigação. O excesso cria problemas de podridão provocadas por fungos, por exemplo, enquanto a escassez de água promove um declínio no desenvolvimento das plantas e nas respectivas produções.

Um sistema pequeno de gotejamento com mangueira de conta-gotas permite ligar a uma torneira e as plantas sejam regadas quinze minutos todos os dias ou em dias alternados meia hora, dependendo das espécies cultivadas. Este sistema tem a vantagem adicional de permitirnos afastar por longos períodos sem prejudicar as plantas.

Sempre importante cuidar e observar as plantas, pois elas respondem rapidamente sobre o que acontece com o ambiente.

4º Passo: Para viabilizar a grande diversidade de plantas que podem ser cultivadas numa horta agroecológica ou orgânica, é importante ter escolhas das sementes adequadas. O mais interessante é a aquisição de sementes certificadas de produção orgânica.

É importante manter contatos com os agricultores agroecológicos ou orgânicos e trocar sementes que as associações ou grupos de promoção da agricultura orgânica e comunidades tradicionais. Além disso, é fundamental a troca de experiências e conhecimentos entre os agricultores.

Aqueles que possuem poucos espaços, podem fazer mudas com sementes crioulas em pequenos recipientes reciclados como potes de iogurte, caixas de embalagens descartáveis, como de leite e garrafas PET, entre outros. É importante colocar esses recipientes no para perto da janela de um quarto que possui entrada de radiação solar.

O transplante é uma operação delicada, mas fácil de executar, em que o mais importante é não danificar as raízes e não deixe de regar bem até que novas raízes se estruturarem no jardim orgânico ou pote.

Pode-se, também, recorrer a vendedores de mudas de viveiros, embora muitas vezes é comum ocorrer problemas durante o ciclo de desenvolvimento das plantas na horta orgânica, devido à origem das sementes, ao uso de fertilizantes químicos e pesticidas nessa fase.

É Muito importante ficar atento(a) sobre a origem das mudas e adubos a serem utilizados!

5º Passo: Na agricultura em bases agroecológicasé de fundamental importância a melhoria da qualidade do solo para alimentar as plantas cultivadas. Portanto, a utilização regularmente de compostos orgânicos previamente decompostos, oriundos de compostagem ou vermicompostagem, é uma prática recomendada.

Embora haja possibilidade de obter adubo e fertilizantes orgânicos no comércio, o seu desenvolvimento é muito interessante a partir de resíduos orgânicos domésticos. Para isso, a fabricação de um composto simples é uma estratégia de grande valor.

As necessidades nutricionais variam de uma planta para outra, mas a manutenção de uma boa quantidade de materiais orgânicos no solo é uma estratégia que beneficiará todas as espécies cultivadas.

Uma boa rotação de culturas nos terraços ou vasos serão capazes aproveitar o máximo da matéria orgânica fornecida, uma vez que, por exemplo, após o cultivo de tomates, pode-se cultivar alface sem adição de composto orgânico. Pode-se, também, semear cenouras ou ervilhas, por exemplo, que vão utilizar o máximo dos restante da matéria orgânica.

Quando colher, pode-se adicionar novo composto e iniciar um novo ciclo com outras plantas exigentes, tais como: abobrinha, pimentão e berinjela, entre outras.

A diversificação de cultivos é fundamental para alternativas de fontes de alimentos e exploração de diferentes camadas e nutrientes do solo! Nunca se esqueça disso!!!!

6º Passo: Para o sucesso de uma horta agroecológica ou orgânica em casa, é necessário ter dedicação e cuidado com as plantas, observar o que está acontecendo com elas, pois mostram se possui falta ou excesso de água e nutrientes. É fundamental, sempre, tentar identificar as causas dos problemas e tentar resolvê-las.

 

Fonte: http://www.biomanantial.com/gran-incentivo-para-huertos-ecologicos-casas-familia-a-1793-es.html

Site: Biomanantial – J. Reyente – Ecoalimenta/Mariano Bueno