18
Jul

APRENDIZAGEM SOBRE A AGROECOLOGIA PASSADA DE AGRICULTOR A AGRICULTOR E DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO

ostaria de iniciar comentando sobre o movimento Campesino de Agricultura Sustentável que teve seu início na América Central, no início dos anos de 1970, desde então ocorreu uma ampliação e a importância da adoção da agroecologia.

Assim, os agricultores desesperadamente procuraram o movimento Campesino de Agricultura Sustentável para restaurar as funções dos agroecossistemas e produtividade em suas propriedades, uma vez que muitas tinham sido seriamente degradadas pelas práticas adotadas como parte dos pacotes tecnológicos da Revolução Verde.

Então, para aprenderem juntos e ensinar uns aos outros sobre a agricultura sustentável, agricultores formaram equipes e grupos que realizaram experimentos em pequena escala, em seguida, compartilharam seus resultados em eventos, visitas técnicas em unidades-referência.

Os agricultores não só compartilhavam informações e técnicas, mas também pensamentos agroecológicos, conceitos, conhecimentos, sabedoria e experiências de vida. Além disso, compartilharam: o porquê, a importância e como adotar os seus métodos agroecológicos que funcionaram e funcionam!

Esses agricultores compartilham de maneiras muito inovadoras utilizando modelos, demonstrações, jogos, canções, poemas e histórias, tornando-se muito didáticos e de fácil entendimento. Já em 1992, o sistema foi baseado em Nicarágua Mesoamericano de Informação para a Agricultura Sustentável (SIMAS), o qual documentou esses métodos de aprendizagem em um conjunto de folhetos ilustrativos chamados de Canasta Metodológica.

A Canasta Metodológica rapidamente se espalhou por toda a América Latina como os agricultores utilizaram as diferentes atividades e metodologias em suas oficinas, nas salas de aula e em reuniões em áreas de comunidades locais e regionais.

Devido à pedagogia simples, os métodos de aprendizagem foram adotados por escolas, instituições de extensão rural e universidades, com o objetivo de aprender e ensinar a agroecologia, que tem crescido em todo o Mundo.

Também cresce a necessidade de utilizar materiais de aprendizagem adequados para os agricultores com uma linguagem apropriada, de acordo com as características e particularidades de cada região. Isto resultou que os conhecimentos e experiências dos agricultores não ficaram apenas no papel e sim nos grupos de agricultores, estudantes e técnicos, sendo compartilhados os conhecimentos agroecológicos de geração em geração.

Assim, a partir de tantas experiências acumuladas, considero que atualmente o método mais reconhecido para desenvolver e promover a agroecologia é o conhecimento e as experiências compartilhadas entre os agricultores.

Fontehttps://foodfirst.org/farmer-to-farmer-learning-materials-for-agroecology/

Site de acesso: Institute For Food & Development Policy. Postado por Ana Galvis.