14
Ago

Agricultura Orgânica – Origem e benefícios

Uma forma de produção que está ganhando espaço e adeptos é a agricultura orgânica, também chamada de biológica, entre outras denominações. Um dos principais motivos desta aceitação é o fato de priorizar a qualidade do alimento produzido e a não utilização de agrotóxicos, fertilizantes sintéticos e pesticidas na produção dos mesmos.

O termo surgiu na década de 20 do século passado e teve força com o surgimento de diversos movimentos contrários à agricultura tradicional e o uso de produtos químicos.

Além disso, foi um alerta à população mundial para o consumo de alimentos mais saudáveis e sustentáveis.

A agricultura orgânica diversifica os produtos cultivados com o intuito de garantir o equilíbrio ambiental, sobretudo do solo.

Nessa perspectiva, a manutenção dos nutrientes da terra é uma importante característica. Portanto, adubos de origem orgânica são indicados para melhorar a qualidade do solo e a nutrição das plantas cultivas e também para afastar as pragas, sem agredir o solo, as águas e até mesmo a nossa saúde.

Com a valorização de alimentos orgânicos e hábitos mais saudáveis, esse tipo de sistema tem sido um grande aliado à saúde da população, bem como do meio ambiente. A agricultura orgânica utiliza técnicas de baixo impacto ambiental com foco na sustentabilidade e, ainda, na preservação dos recursos naturais.

Por outro lado, a agricultura que hoje é chamada de convencional, é altamente mecanizada, baseia-se na monocultura e foca na obtenção de alta produção, utiliza produtos tóxicos nas plantações para tentar controlar plantas espontâneas infestantes, pragas e doenças nos cultivos.

Esse tipo de sistema tem agravado os problemas ambientais, além de afetar negativamente a saúde e o bem-estar da população.

 Se por um lado, o consumo de alimentos contaminados por agrotóxicos, por exemplo, com o passar do tempo pode acarretar em sérios problemas de saúde, entre eles algumas disfunções hormonais, problemas cognitivos, má formação do feto e ainda o aparecimento do tão temido câncer. Por outro, as vantagens em consumir alimentos orgânicos não param de crescer. Preservação dos recursos naturais, maior qualidade nos alimentos, utilização de energias renováveis, alimentos mais nutritivos e saudáveis são alguns exemplos.

 No Brasil, a agricultura orgânica está intimamente relacionada com a agricultura familiar. Dados apontam que 70% dos alimentos consumidos no País é fruto da agricultura familiar.

Na agricultura familiar são utilizadas técnicas tradicionais de cultivo, muitas delas manuais e apropriadas à realidade do local de produção, além de maquinários e equipamentos de pequeno porte, sendo tratada cada propriedade como sendo única, já que cada caso é um caso.

Mas, com tantos benefícios trazidos pela agricultura orgânica, ainda temos caminhos a percorrer para que os produtos que chegam à nossa mesa sejam os mais saudáveis e sem resíduos de produtos químicos.

Para isso, o País precisa investir mais em políticas públicas conscientes que priorizem a saúde da população e do meio ambiente.

Consideramos que esta influência da agricultura orgânica é um grande passo para a manutenção da saúde do nosso planeta. Aos poucos os consumidores estão se conscientizando em consumir apenas produtos de origem natural, livres de veneno e ainda por cima mais suculentos e nutritivos.

Gostou do artigo? Então, acompanhe-nos em nossas redes sociais e fiquem por dentro de todas as novidades, benefícios e tendências do mundo ecológico.

Um Abraço

Milton