5
Fev

11 DICAS PARA O CONSUMO DE ALIMENTOS ORGÂNICOS COM PREÇO BAIXO

Ao contrário do que muitos pensam, os alimentos orgânicos não são somente aqueles livres de agrotóxicos e de outros produtos químicos . Para que o alimento seja considerado 100% orgânico, ele deve, desde o plantio até o processamento final, não ter passado por contaminação química,  Ou seja, utilizado adubo orgânico, sem intervenção de drogas veterinárias, antibióticos e hormônios. Não deve conter corante, conservante ou qualquer tipo de química. Logo, para se tornar orgânico, este alimento deve ser totalmente natural, garantindo uma excelente qualidade nutricional, o que acarreta em uma qualidade de vida superior.

 Se pretende inserir produtos orgânicos em sua alimentação, confira algumas dicas que preparamos para você alimentar-se bem, pagamento pouco.

1. Descubra se o produto está com bom preço

Assim como nos alimentos convencionais, nada melhor que uma boa e velha pesquisa de preço. Antes de efetuar a compra, certifique-se que o produto está com bom preço e nunca compre no primeiro lugar de sua pesquisa, a menos que você já possua noção dos valores comercializados. Alie-se a internet pesquisando quanto custa, aproximadamente, cada produto que pretende comprar.

2. Compre no lugar correto

Os alimentos orgânicos podem ser encontrados em alguns mercados e muitas feiras. Hoje em dia existem feiras especializadas em produtos orgânicos na maioria das cidades do Brasil. Como uma boa referência, sugerimos que conheça a FAE – Feira dos Agricultores Ecologistas em Porto Alegre. Geralmente nessas feiras os produtos possuem valor mais baixo do que em mercados, por exemplo, porque são comercializados diretamente pelos produtores. É garantia de qualidade e preço bom.

3. Compre produtos da época

Compre alimentos da época, pois geralmente o preço é mais baixo. Além disso, vegetais de estação são mais saborosos e mais nutritivos. Assim, você aproveita também para variar bastante sua alimentação.

4. Compre a granel

Para quem não sabe, a granel, nada mais é do que comprar alimentos tipo ‘’self service’’, onde você leva apenas a quantidade desejada, sendo muito usado em feiras. Essa é uma boa maneira de comprar só o necessário e, assim, economizar. Vale lembrar que, de acordo com a legislação orgânica no Brasil, todos os produtos orgânicos comercializados a granel devem trazer a identificação do seu fornecedor no respectivo espaço de exposição.

5. Prefira os alimentos mais baratos

Os preços dos alimentos orgânicos variam muito de acordo com o local aonde serão comprados e também com a estação, devido à sua produção. Mas, de forma geral, existem alguns vegetais que costumam ter preços mais acessíveis: abóbora, batata, batata doce, cenoura, chuchu, entre outros. Além disso, eles rendem bastante. São ótimas opções para quem não quer ou não pode gastar muito.

6. Reduza a quantidade de carne

Se possível, diminua o consumo de carne. Vegetais custam menos que alimentos de origem animal. Além disso, produtos como feijões e cereais, rendem muito após o cozimento. Logo, os gastos acabam sendo menores, ainda que você aposte nos alimentos orgânicos.

7. Planeje suas compras

Nunca vá à feira ou supermercado sem planejar ou ter a mínima idéia do que vai comprar. De preferência, leve uma lista com tudo que precisa e com a quantidade aproximada para a semana, por exemplo. Se possível, vá com uma ideia de quanto pretende gastar mais ou menos (tendo uma noção dos preços dos alimentos não fica tão difícil).

8. Evite desperdício

Além de fazer um bom planejamento, para evitar o desperdício de alimentos e economizar na compra, é necessário ter um cuidado na conservação e armazenamento dos produtos, para que o alimento dure mais tempo até o consumo. Uma dica é observar se o alimento está em boas condições e ter muita cautela no transporte. Evite colocar uma sacola encima da outra. Não compre alimentos muito maduros, caso não for consumir imediatamente. Aproveite todas as partes comestíveis do alimento, como as cascas, que muitas vezes são desprezadas.

9. Faça você mesmo(a)

Planeje a compra, compre os alimentos e, sempre que possível, faça você mesmo(a) seus pratos. Essa é uma das maneiras mais eficientes de economizar.

10. Fuja dos vegetais mais contaminados

Se não conseguir comprar todos os alimentos orgânicos, opte, pelo menos, por comprar aqueles vegetais que, na versão não orgânica, são menos contaminados. Os alimentos que lideram o ranking de contaminação por agrotóxicos são o pimentão, o morango e o pepino, seguidos pelo a alface, cenoura, beterraba, couve, mamão, abacaxi e o tomate. Ou seja, no caso mais específico destes alimentos, opte sempre pela versão orgânica.

11. Tenha uma horta em casa

Além de possível, é super-recomendado fazer uma mini horta em casa, que hoje em dia tem se tornado uma prática cada vez mais comum. Afinal quem não gostaria de poder cozinhar com ervas, temperos e hortaliças ao alcance de suas mãos?

Professor Milton